sábado, 4 de julho de 2009

BRISAS DO SUL . NOTICIAS

CASA MUSEU DA PROFESSORA MARIA JOSÉ FRAQUEZA.
Simples, fica na Rua Teófilo Braga, na Fuzeta. É um local digno de ser visitado por se tratar de um espaço cultural onde se pode apreciar um pouco do passado artístico de uma mulher, que à cultura dedicou quase toda a sua vida.
Conheci a Maria José Fraqueza na Escola Industrial e Comercial já a fazer Teatro, a cantar o fado e as canções da época. É uma grande senhora que tinha um sonho e já o viu realizado. No imóvel onde nasceu a poetisa, ergue-se agora a casa Museu Maria José Fraqueza.
O espólio cultural que está patente na Casa Museu é de valor enorme e dele constam primeiras edições de obras da proprietária, em prosa e em verso, documentação referente a colecções de concursos literários por si realizados, poemas em caligrafia artística, pinturas a óleo, cassetes e cds de assuntos variados, mas sobretudo conteúdos das marchas populares, teatro, grupo de cantares e muitos outros trabalhos feito pela autora.
De entre os objectos mais significativos que constam na Casa Museu é da maior justiça destacar o guarda-roupa usado como madrinha das marchas populares, além de álbuns fotográficos e diplomas. De futuro, a Casa vai realizar actividades culturais, Poesia e Prosa, concursos literários, exposições, vai ter um espaço de leitura para crianças em idade escolar, indo ao encontro do espírito de cooperação da escritora.. É um espaço aberto a quem o deseje visitar, sem fins lucrativos e, enquanto vida, da responsabilidade da autora.
A Casa Museu é o local onde nasceu a autora, de construção típica algarvia com açoteia e com pequenas divisões, com clarabóia ao centro das abóbadas, um corredor lateral e duas janelas para a rua. Na sala principal estão expostos os troféus da poetisa, como diplomas de várias actividades culturais, telas da autora, exposição de medalhas e prémios diversos e uma mesa onde constam as suas obras individuais e colectivas.
No quarto onde a poetisa nasceu ainda lá está a cama do casamento da avó materna e uma tela da autoria da poetisa. Por toda a casa existem testemunhos artísticos legados pela autora, como pinturas em tela e documentos de poesia em caligrafia artística.
A maior homenagem que se pode prestar a esta escritora e mulher, é dizer que a arte nasceu com ela. Não há problemas de espécie alguma quando se lhe colocam assuntos que sejam da sua área de actuação, nomeadamente, no campo das artes.
Sempre a conheci com a mesma juventude dando tudo de si aos outros. E sempre com um sorriso de vitória, porque a Maria José Fraqueza é uma vencedora. E uma amiga também. A cultura portuguesa agradece a sua dádiva e os inúmeros prémios com que tem sido agraciada, são precioso testemunho da sua grande capacidade artística. Digamos que a Casa Museu é a criação do local ideal e justo, onde toda a sua produção artística foi exposta e pode ser apreciada por todos aqueles que se interessam pela cultura popular ou erudita.
E é por tudo aquilo que tem produzido no campo das artes, que me leva a endereçar-lhe, convictamente, os meus sinceros parabéns e pedir-lhe que continue, por favor..
Viva a arte, outra viva aos artistas e outro viva ainda à Maria José Fraqueza..

Texto de João Brito Sousa

2 comentários:

jorgeferrorosa disse...

Obrigado Maria José pelo comentário no meu cantinhio. Belas palavras que tem sempre para mim, sei que são de coração e a nossa amizade desde longa data vem sustentando isso. É verdade, estas são ocasiões únicas, custam um pouco a dar a volta e conduzem ao desânimo, à dor, mas não só a dor dos poetas, mas a realidade em si que tem de ser confrontada. E que caminhos sinuosos. Serve estes escritos para estravazar o sentimento, uma pequena terapia que funciona. A vida é feita de tempestades! Obrigado uma vez mais pelas palavras que me dirige. Tem que ser, amanhã será novo dia. O pai ainda continua lá, é o inesperado. Para si também beijinhos e tudo de bom mesmo. Muito obrigado.

Jorge Ferro Rosa

Lice Soares disse...

Parabéns pelo belo espaço.
Abraços.