segunda-feira, 22 de junho de 2009

RIO QUE CORRE...

Corre o rio para a foz
Entre margens verdejantes
Há algo dentro de nós
Que nos torna seus amantes
Galgando o desfiladeiro...
Seu caudal é uma benção
Este rio é o mensageiro
É o lindo Rio Gilão
Vem Tavira beijar
Neste beijo de ternura
Na rota do Verbo Amar!

Quem bordou as tuas margens
Desse verde cor d’esp’rança
Que dá beleza às imagens
Que a nossa vista alcança!
Não revelando segredos
Nem os conta à própria ria
Musa dos meus sonhos ledos
És a beleza Algarvia!

1 comentário:

Maria Zélia disse...

Amiga
Gostei deste seu poema ...
Uma bonita homenagem ao Gilão, que aprendi a "amar" desde que comecei a gozar férias na bela cidade de Tavira, já lá vão mais de 15 anos!
Está belo o seu poema e como "retrata" esse caudal que desagua nas pacíficas águas da Ria Formosa!
LINDO ... GOSTEI ... PARABÉNS!
Um beijiho amigo da
Maria Zélia